O Radicalismo e a Burrice

Alexandre Gennari – Crônicas – Vida de Brasileiro

1899955_604067156349540_1738408979_n

Radicalismo e burrice caminham lado a lado. Um post que circula nas redes socias criticando Chavez, Morales, Fidel, Lula, Marx e outros socialistas por pregarem o socialismo e viverem como “Rockfeller” [famoso bilionário norte-americano] é a prova cabal disso. Já tinha ouvido o mesmo raciocínio míope em uma mesa de bar, no episódio no qual um articulista da Revista Veja usou a atriz Letícia Spiller como bode espiatório. No bar, meu interlocutor defendia que se Letícia era a favor do socialismo não poderia viver em um apartamento de luxo no Rio de Janeiro. Deveria, portanto, morar miseravelmente como aqueles que ela gostaria de ver fora da linha de miséria.

Para verificar o equívoco do raciocínio é só invertermos essa lógica. Se pessoas que vivem bem não podem ser favoráveis ao socialismo, não podem defender, portanto, que aqueles que vivem na miséria tenham uma vida melhor, é justo defendermos que aqueles que vivem em situação de pobreza também não possam ser favoráveis ao capitalismo, pois só num sistema mais justo de distribuição de renda lograriam ter acesso a algumas das benesses que só as classes privilegiadas tem no sistema capitalista. Do contrário, seriam tão hipócritas, quanto Chavez, Morales, Fidel, Lula, Marx e outros supostos socialistas, porque colocam sua força de trabalho a serviço do capitalismo mesmo sabendo que na maioria esmagadora dos casos morrerão sem que o regime lhes entregue seu quinhão de benefícios com os quais o sistema lhes acena,  excluindo-os até, em muitos caos, de usufruir do básico, ainda que dêem em troca o trabalho de toda uma vida. Assim sendo, me parece que toda a classe pobre teria que se tornar socialista para ser coerente com o modo que vivem. Assim,  Chavez, Morales, Fidel, Lula, Marx e outros supostos socialistas, tornariam-se capitalistas (os mortos, napróxima encarnação), continuariam vivendo “como Rockfeller”, e a maioria da população do planeta, que vive de forma modesta, pobre ou miseravel, se tornaria socialista ou tomaria à força aquilo que o capitalismo lhes oferece e não entrega: posses, bens de consumo, riquezas. Aquilo que lhes promete o outdoor, o anúncio na TV, o produto na vitrine, na foto da revista, no corpo da modelo. Só assim, a imensa maioria  pobre planeta não seria hipócrita como Chávez, Morales, Fidel, Lula, Marx e outros suostos capitalistas.

Resumo da Ópera: Indepedentemente da orientação ideológica de cada um de nós, diversas ideias veiculadas ultimamente pelos radicais de plantão (de lado a lado),  não passam pelo crivo da lógica quando avaliadas à margem das paixões (a maioria delas cheirando a mofo), não passam de tiros nos próprios pés.

Mais crônicas de Alexandre Gennari

Saiba mais sobre Alexandre Gennari

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s