Laranja Mecânica

Roteiros – Cultura – Filmoteca do Roteirista

Direção: Stanley Kubrick – 1971 – Inglaterra – Drama – 137 min. – Roteiro: Stanley Kubrick – Elenco: Malcom McDowell, Michael Bates, Patrick Magee

Sinopse: No futuro, um grupo de jovens pratica a violência por mero prazer até que seu líder é preso e usado pelo governo como modelo para a recuperação de condenados por meio de um método experimental.

Comentários: Vivemos em uma sociedade cercada pela violência. A origem desta violência pode estar nas desigualdades sociais ou na intolerância racial. Mas pode estar também em algum componente básico e insondável da natureza humana. Talvez esteja no id da psique do homem ou na repressão deste instinto animal. Afinal, o ser humano já nasce com o mal dentro de si? E este mal pode ser corrigido? A questão da violência, abordada por Kubrick em 1971 no filme Laranja Mecânica, parece mais atual do que nunca. Uma violência gratuita, praticada por mero prazer, por puro instinto. Através da explosão desta violência, Kubrick faz uma sondagem da natureza humana, deste instinto destrutivo inerente ao ser.

Outro tema fundamental é a questão da manipulação do homem pelo governo e pelos meios de comunicação. Segundo Rubens Ewald Filho Laranja Mecânica nos mostra “a terrível violência dos direitos humanos e a violência cometida contra a individualidade, que acontece todos os dias sem que nos demos conta… Todos nós somos laranjas mecânicas, submetidas a lavagens cerebrais contínuas que nos condicionam, às vezes de forma subliminar”.

A ação se passa em mundo virtual composto por uma estética alucinante, elementos de design criados a base de muita Pop Arte, a cara dos anos 1970. Se a estética é própria, a linguagem também é. Há palavras estranhas de um idioma inventado que se misturam ao inglês. O figurino é estranho, extravagante, meio futurista, psicodélico. O protagonista do filme, Alex, vivido por Malcomm McDowell, em uma atuação performática que marcou época, é o anti-herói abominável, porém carismático, que acaba se tornando simpático. Cultuado por alguns, questionado por outros, execrado por muitos. Como o próprio filme sobre o qual todas as reações são possíveis e naturais, exceto a indiferença.

A trilha sonora é vital no cinema de Stanley Kubrick e esta é uma das melhores da história. O diretor é um mestre da imagem e nesta fita dá a elas um formato coreográfico onde toda a violência é estilizada. Nada é gratuito.Assim, Laranja Mecânica é um ícone da sétima arte. Universal como a violência e a manipulação do homem pelo homem na busca de mais e mais poder.

Roteiro: O que há de mais incrível em qualquer roteiro de ficção científica é o trabalho de projetar um futuro possível e criar um novo mundo a partir da recriação do mundo em que vivemos. Um roteiro de ficção parece solicitar mais criatividade de seus autores do que quaisquer outros gêneros de roteiros. E o mundo que Kubrick cria em Laranja Mecânica é fascinante e repleto de realidades virtualmente possíveis. Gênio!

Por: Alexandre Gennari

Assista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s